(71) 9.9923-3366 [email protected]

Saiba o que fazer para aliviar as dores no pescoço

Agende uma Consulta

Siga minhas redes sociais:

Dor Lombar

Dores na coluna lombar são uma queixa comum nos consultórios médicos em todo o mundo, afetando milhões de pessoas e sendo uma das principais causas de incapacidade. No entanto, identificar a origem exata dessa dor nem sempre é uma tarefa simples. A complexidade da estrutura da coluna vertebral, junto com a variedade de possíveis causas de dor, exige uma abordagem cuidadosa e detalhada no diagnóstico. Neste artigo, exploraremos como os médicos abordam o diagnóstico da dor na coluna lombar, destacando a importância de ir além das imagens de ressonância magnética e entender a história clínica completa do paciente para determinar a verdadeira fonte do desconforto.

Tratamento Inicial da Dor no Pescoço

Autocuidado

Quando estamos lidando com uma dor que não foi causada por um traumatismo, ou quando esta não é muito intensa ou prolongada, existem alguns recursos muito eficazes que podem ser utilizados em casa, sem a necessidade de se acionar um serviço de saúde. São eles:

– Alongamento: O termo alongamento é descrito como uma série de exercícios físicos que visam a preservação e aprimoramento da flexibilidade muscular. A contratura muscular prolongada provocada pelo estresse e postura viciosa do pescoço, por exemplo, podem provocar dores. Essas condições podem ser aliviadas pela prática regular de alongamentos da musculatura do pescoço.

– Período de descanso: Na vigência de dor, um período curto de descanso geralmente é benéfico para o organismo. Nesse descanso a pessoa deve manter-se afastada de atividades que exijam postura prolongada como sentar-se ou ficar numa posição de trabalho por muito tempo, incluindo uso prolongado de celular, por exemplo. O descanso não deve ser prolongado, limitando-se a no máximo 48h, do contrário pode tornar-se prejudicial à boa recuperação da coluna.

– Frio e calor: A terapia com gelo ou calor local pode ser benéfica em algumas situações. Se a dor é aguda (nova) e provocada por alguma atividade física intensa, é sugerido inicialmente a aplicação de gelo, pois promove vasoconstrição e diminuição da inflamação. Se a dor é causada por contratura muscular ou é mais prolongada, é recomendado o uso de calor local, que promove relaxamento muscular. Além disso, ambas as terapias, calor e frio, agem inibindo diretamente os sinais de dor, pois a sensação de temperatura (frio ou calor) compete com a sensação dolorosa pela interpretação a nível do sistema nervoso central.

 

Fisioterapia para dor no pescoço

Um fisioterapeuta faz ajustes físicos na coluna com o objetivo de melhorar a mobilidade e reduzir a rigidez, desconforto ou dor. Podem ser utilizadas modalidades de terapia ativa, como exercícios aeróbicos, de alongamento e fortalecimento; bem como terapia manual, com atividades de mobilização e manipulação. Técnicas famosas como quiropraxia, osteopatia, RPG, pilates e outros, utilizam uma combinação destas atividades de acordo com uma linha de raciocínio terapêutico específica. A avaliação minuciosa de um fisioterapeuta com treinamento nas principais técnicas de avaliação e manipulação da coluna é essencial para a recuperação dos casos em que a dor se torna mais intensa e prolongada.

Medicamentos para aliviar a dor no pescoço

Existem medicamentos que são vendidos sem a necessidade de prescrição médica, e por isso são utilizados como primeiro recurso para combate a dor, tais como anti-inflamatórios não esteroides (AINES), ou os analgésicos como o paracetamol e a dipirona, que bloqueiam a produção de prostaglandinas, fazendo com que o corpo fique menos ciente da dor.

Os relaxantes musculares podem ajudar em alguns casos de dor no pescoço, e podem ser utilizados em associação com os analgésicos e antiinflamatórios.

Entretanto, em casos mais intensos de dor, medicamentos mais fortes como os opióides podem ser prescritos após avaliação médica.

Tratamentos Complementares:

– Psicoterapia e Técnicas de Mindfullness: terapia cognitivo-comportamental tem surgido como ferramenta complementar importante no manejo das dores crônicas. Ela envolve a educação sobre a própria doença, abordagem sobre mitos e crenças limitantes acerca da saúde do paciente, treinamento de atitude positiva, entre outras abordagens.

Outra modalidade complementar que tem ganhado destaque é a técnica de redução do stress baseada em mindfulness. Que consiste numa técnica de meditação e relaxamento, levando a melhor controle do stress e da dor crônica.

– Massoterapia: Os estudiosos da massoterapia afirmam inúmeros efeitos fisiológicos positivos desta prática. Estes efeitos permitem, entre outros, relaxamento muscular e nervoso; facilitam a circulação sanguínea e linfática, estimulam a eliminação de toxinas e estimulam as funções dos órgãos vitais. A massagem atua como estímulo muscular e ligamentar. Acredita-se que esta também tenha atuação da dimensão corpo-mente por desalojar memórias emocionais que foram armazenadas em tecidos e órgãos do corpo (microfisioterapia). Portanto, não é incomum notar mudanças emocionais durante uma sessão de massagem. Energia vital, chakras, pontos vitais e vários outros princípios podem ser trabalhados de acordo com as tradições e escolas de pensamento da massoterapia.

– Acupuntura: Essa é uma terapia milenar, cuja metodologia se resume na aplicação de agulhas em pontos localizados do corpo, com a finalidade de melhorar a imunidade, tratar problemas emocionais e atenuar dores corporais. Tal técnica se baseia na ideia de que o corpo é um aglomerado de energia, que se distribuem em vários locais, e quando há um desequilíbrio nessa energia, alguns sintomas aparecem, como dor, irritação, etc. Portanto, a acupuntura visa restabelecer o equilíbrio corpóreo. A acupuntura é uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina.

E Quando Houver Falha nos Tratamentos Conservadores?

Quando o tratamento conservador com fisioterapia, atividade física, medicamentos, psicoterapia e terapias complementares falha, a próxima etapa poderá consiste na utilizaçào de técnicas de intervenção em dor, como bloqueios, rizotomias e neuromodulação não invasiva (veja mais em: Tratamento avançado da dor cervical).

 Esse texto tem o objetivo trazer informação de qualidade e de fácil compreensão para o público leigo, não tem cunho científico e não se trata de recomendação terapêutica. A melhor forma de tirar suas dúvidas é conversando com seu médico.

Altura mínima: auto
Altura mínima: auto
Largura Máxima: 80%
Largura Máxima: 80%
author avatar
suporte

Deixe seu comentário

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende uma Consulta

Siga minhas redes sociais: